quinta-feira, 5 de julho de 2012

OS PROBLEMAS AMBIENTAIS NO BRASIL

HÁ UMA TENDÊNCIA DE DIVÓRCIO ENTRE OS PROBLEMAS E A VIDA
As pessoas tendem pensar o problema ambiental como discurso, ou como realidade distante. O mais comum é relacionar a questão aos problemas ligados à Amazônia. É fato que na Amazônia a degradação ambiental constitui questão séria e problema que urge solução. No entanto, não se trata apenas de um problema amazônico. A problemática ambiental é um problema planetário. No caso do Brasil, eu diria que o desmatamento do Cerrado, principalmente em Goiás, é tão grave quanto o da Amazônia.
Lembro que no final de maio de 2010, penso que por ocasião da Semana do Meio Ambiente, havia em Níquelândia-GO um evento em que, a partir de uma parceria entre a Universidade Estadual de Goiás e a Secretaria Municipal de Educação, desenvolveu-se práticas ligadas à Educação Ambiental. Haviam cartazes, declamou-se poesias, apresentações teatrais e tudo mais. Foi um evento lindo.
FOGO NA SERRA. TODO ANO A MESMA CENA.
No entanto, enquanto as boas senhoras que conduziam o evento se esforçavam por mostrar a boa imagem da prefeitura de Niquelândia e da UEG, as serras que circundam a cidade ardiam em chamas. Pura malvadeza. Todos que conhecem Niquelândia sabem que naquelas serras ninguém planta nada. Ali ninguém cria gado, cavalo ou outro animal qualquer. Mas todos que moram em Niquelândia, ou que a visitam entre maio e setembro – principalmente em Agosto por ocasião do Muquém – sabem que todo ano aquelas serras ardem em chamas. E ninguém, no bem intencionado evento, falou das chamas que apagavam qualquer forma de vida que por ventura pudesse haver naquelas serras.
Então, o tratamento distante que as pessoas dão à questão ambiental é o maior problema que temos hoje.
Em que pese a ignorância do povo, os problemas ambientais de âmbito nacional, relacionados à degradação da diversidade biológica ocorrem desde a época da colonização, estendendo-se aos subsequentes ciclos econômicos, num modelo econômico sempre predatório.
Atualmente, os principais problemas estão relacionados com as práticas agropecuárias, o extrativismo vegetal e mineral e a má gestão dos resíduos urbanos.
O índice de desmatamento em nosso território é tão alarmante que chega a pontuar proporcionalmente o Brasil como o segundo país, atrás apenas da China, com maiores áreas devastadas em todo o mundo.
Isso atinge a Amazônia, reduzida em apenas 15% de áreas preservadas. Mas atinge também a biodiversidade do Cerrado e da Caatinga. Diante dessa situação degradante, é necessário que cada cidadão assuma uma postura crítica e responsável. Não basta cobrar de outros, é preciso que também nós, cada um, aprenda a lavar o próprio prato. Cada um precisa fazer a sua parte. O rapazinho ou a mocinha que vai deixando seu lixo pelo chão da própria casa, porque tem alguém que deve recolher, a empreguete, são monstrinho e monstrinha. E essa é a postura mais comum. Se deixa o lixo na rua, jogado de qualquer jeito, porque esse é um problema de quem o recolhe, o gari. Ninguém parece disposto a assumir o seu papel na construção de um mundo melhor.