segunda-feira, 8 de outubro de 2012

EM NIQUELÂNDIA, O ESPERADO: E AGORA? PANELINHA OU GESTÃO PARA O POVO?

Luiz Texeira, novamente na prefeitura.
Como já havia dito, era certa a vitória do ex-prefeito Luiz Teixeira Chaves. Foi o que aconteceu, venceu Evaldo Rincon, mesmo depois de duas desistência, Conceição Veloso e Gilmar Louredo que, conforme ficou divulgado, desistiram para somar forças com Evaldo Rincon, "o todos contra um".

Com 12.117 votos, Luiz Teixeira obteve 50,20% dos votos válidos contra 44,66 % de Evaldo Rincon, que ficou com 10.779 votos.O que eu, e todos os niquelandenses que fazem parte do povo comum, queremos saber é, será uma gestão voltada para a panelinha ou uma gestão voltada para o interesse público?

Esse é o medo que paira sobre os comuns. O povo comum tem medo da Ana Maria, Ana Matilde e todo um grupinho, que incluia até o pastor Alvéssimo Abreu, que do alto do púlpito nunca considerou a possibilidade de haver uma tristeza divina ao beneficiar-se do que era público em favor seu ou da sua "igreja".

O povo comum sabe que existe um grupo, e nesse grupo incluo as duas rádios de Niquelândia, que só subsistem das fatias que recebem da prefeitura. O toma-lá-da-cá. Não prestam serviço ao povo, vendem a voz e o serviço público que deveriam prestar a qualquer que esteja no poder, por isso são como putas que abrem as pernas para quem der mais. Desses não podemos esperar nada, caso alguma coisa dê errado na gestão vindoura.  

Então, é isso o que tememos.Uma nova gestão, que não pode ser pior que a atual. Os instrumentos de luta da sociedade que a esta altura já estão, na surdina negociando seu preço, se o preço não tiver sido negociado ainda. E a esperança de que o Luiz de hoje seja melhor que o Luiz do passado, o que eu acredito.

Penso que errar uma vez, mesmo que durante quase oito anos, é humano. Assim, acredito no Luiz Teixeira, porque acredito no Zé Aurélio um dos seus interlocutores mais ativos da gestão do Luiz (espero que ainda o seja), por quem não tenho nenhum constrangimento em dizer que tenho uma admiração enorme. Confio também no vice prefeito eleito, outra pessoa que goza do meu apreço. E confio no bom senso do povo, caso todas as minhas esperanças se frustrem, penso que o bom senso coloca no poder, para dar uma chance, e tira do poder se não fizer jus à confiança auferida.