quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

MRV ENGENHARIA LUCRA COM O TRABALHO ESCRAVO


A MRV Engenharia[1] informou nesta quarta-feira (2) que uma das filiais da construtora mineira foi incluída no cadastro do Ministério do Trabalho de empregadores que submeteram funcionários a condições análogas às de escravidão, segundo a atualização mais recente da lista.

Em comunicado, a empresa disse que a inclusão é referente a uma fiscalização conduzida em 2011, "em que foram identificadas supostas irregularidades promovidas por empresa terceirizada que prestava serviços para a MRV, a qual não trabalha mais para a companhia desde 2011".

A empresa não especificou o projeto nem a localidade em que foram identificadas as irregularidades.

Após a divulgação da nota, ações da empresa eram as que registravam a maior queda da Bovespa. Enquanto o principal índice de ações da Bolsa brasileira subia mais de 2% às 10h16, os papéis da companhia caíam 3,92%.

Em agosto do ano passado passado, a construtora e incorporadora mineira teve dois projetos incluídos na lista do Ministério do Trabalho: Residencial Parque Borghesi, em Bauru, e Condomínio Residencial Beach Park, em Americana, ambos no interior de São Paulo.

Em setembro, a empresa obteve liminar em mandado de segurança no STJ (Superior Tribunal de Justiça) para ter seu nome retirado do cadastro.

No comunicado de hoje, a companhia informou estar tomando medidas e ações cabíveis para promover a exclusão de seu nome do cadastro "e prestar os devidos esclarecimentos necessários junto aos órgãos competentes e ao mercado em geral".

"A MRV construiu uma reputação alicerçada na ética, na credibilidade e no respeito a todos com os quais se relaciona e vem a público reafirmar seu compromisso com a responsabilidade social", ressalta a companhia.
Representantes da MRV e do Ministério do Trabalho não estavam imediatamente disponíveis para comentar o assunto.




[1]http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1208987-construtora-mrv-volta-a-ser-incluida-em-cadastro-de-trabalho-escravo.shtml