segunda-feira, 27 de maio de 2013

MARCONI QUER EXPANDIR A MISÉRIA DA UEG PARA DESTRUÍ-LA


Quando o governador Marconi Perillo mandou aprovar a lei de criação da UEG, em 1999, ela contava com 14 unidades. Até 2006, ele mandou criar mais 28. Hoje, são 42 unidades, funcionando em condições precárias, porque o governo Marconi se recusa a garantir os recursos indispensáveis ao seu funcionamento. E ainda quer implantar mais três unidades, uma na região noroeste de Goiânia e duas no entorno do Distrito Federal.

Assim, o governador expande a miséria da UEG para todos os cantos de Goiás, enganando o povo para conseguir mais votos para se reeleger em 2014, como fez nas eleições anteriores. Com isso, sua qualidade, que já é ruim, vai piorar. Marconi vai destruir a UEG com a conivência do reitor, que aceita essa expansão irresponsável, sem exigir a ampliação dos recursos para o seu financiamento.

Queremos, sim, que a UEG cresça, mas, acima de tudo, com qualidade e não só em tamanho. Por isso, conclamamos toda a população goiana a apoiar nossa luta em defesa desta Universidade Estadual pública. Há 32 dias em greve, nós, professores, estudantes e funcionários administrativos, exigimos do governador Marconi Perillo a retomada da negociação, que mal iniciou e ele encerrou, unilateralmente, de forma autoritária, como costuma fazer.

Estamos realizando uma vigília de 24 horas em frente ao palácio do governos estadual e o sepultamento simbólico da política destrutiva do governador Marconi Perillo de destruição da UEG.

Venha para essa luta você também, antes que a UEG seja destruída pela ganância eleitoral e pela irresponsabilidade do governador Marconi Perillo.

Movimento Mobiliza UEG – Goiânia, 27/5/2013