sexta-feira, 27 de novembro de 2015

ESTABILIDADE DE PROFESSOR É A COISA MAIS IMBECIL QUE EXISTE

O site do uol, que é ligado à Folha de São Paulo, reproduziu uma matéria do jornal baiano a tarde, assinada pelo jornalista Biaggio Talento, noticiário de 17 de novembro de 2015. Nessa reportagem, falando a um grupo de empresários baianos, o governador Marconi Perillo, explicou o projeto de terceirização. Segue alguns trechos com transcrição direta da entrevista com o governador goiano:

Governador quatro vezes, Perillo deu uma aula de liberalismo para empresários e políticos, nesta terça-feira, 17, em Salvador, em evento promovido pela Lide-Bahia (Grupo de Líderes Empresariais). Classificando a lei de estabilidade do funcionalismo público como "a coisa mais imbecil e mais burra que existe" e a Lei das Licitações como protetora mas que entrava. Disse que para fazer sua gestão funcionar, já terceirizou toda a área de saúde e "como deu certo" será "o primeiro governador a terceirizar na educação".

"Muita gente está de olho no que vamos fazer lá [na educação de Goiás] Não consigo ver a educação avançando com sindicatos agressivos e essa coisa de professor pedir licença para tudo a qualquer hora. Vou conseguir chegar a uma melhoria na medida que o mau professor ou professor relapso, ou professor que não cumpre suas metas, possam ser desligados. Só no fato de a gente quebrar a espinha da contratação, de definir metas claras, será uma outra coisa. Mas não pode haver aumento de gastos em relação ao modelo antigo, senão não vale a pena".

O governador contou uma história ocorrida na greve dos professores de Goiás esse ano para mostrar não ter medo de enfrentar o sindicalismo. "Fui num evento e tinha um grupo de professores radicais da extrema esquerda me xingando. Eu disse: tenho um remedinho pra vocês. Colégio Militar e Organização Social. Identifiquei as oito escolas desses professores. Preparei um projeto de lei e em seguida militarizei essas oito escolas. O Brasil está precisando de 'nego' que tenha coragem de enfrentar". Foi muito aplaudido [pelos empresários que o ouviam].

Perillo disse ter descoberto também que o Sindicato dos professores estava descontando um percentual  dos servidores para a entidade, sem autorização. Os recursos eram usados para custear propaganda contra o governo na TV. "Estavam arrecadando R$ 750 mil por mês. Mandei cortar", disse, afirmando que não pretende "fazer graça com esse pessoal que não está preocupado em melhorar a educação". 

Fonte:http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1727346-goias-vai-terceirizar-a-educacao-apos-experiencia-na-saude