segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O CASO DA CADELA YORKSHIRE LANA - FORMOSA - GO

Recentemente, em Luziânia, alguns jovens foram mortos de forma misteriosa. Desvendado o mistério das mortes, soube-se que haviam sido vítimas de um maníaco. A família sofreu antes, e sofreu depois. A sociedade, no entanto, manteve-se alheia. As manifestações restringiram-se aos familiares dos desaparecidos, que desesperados, rogaram para que o poder público intervisse, de modo a esclarecer os fatos. E o que aconteceu? Prenderam o suposto autor, ele foi suicidou-se, ou foi morto, ninguém sabe. Mas, quem se importa se de fato ou ou não o tal maníaco? A sociedade pouco se interessou.

Mas, no mesmo Estado, na mesma região, desta feita em Formosa-GO, a agressão de uma mulher, ser humano, a uma cadela, animal, rendeu a comoção nacional. E a imprensa tem alardeado o fato. O fato tornou-se cotidiano da mídia sensacionalista, especialmente a Rede Record. E a playbozada, as patricinhas e aquelas madames sensibilizados estão à flor da pele com tamanha crueldade.

A agressora já foi ameaçada de morte e, nacionalmente, existe toda uma comoção. Sou contra maus-tratos a animais. Mas sou contra maus-tratos a pessoas. A mesma sociedade que se silencia diante das desgraças cotidianas que atingem crianças, adolescentes, velhos e toda a classe miserável desse país, se sente perturbada diante da agressão à tal cadelinha. Questionar tendenciosamente que se Camila Corrêa, a agressora, fez o que fez com a Lana, a cadelinha, então o que ela poderia fazer, em momentos de fúria, com a própria filha de  modo a induzir que ela poderia ter a mesma atitude com a criança equivale a pôr no mesmo nível a existência de uma cadela yorkshire terrier e uma criança, a filha da enfermeira Camila Corrêa. Isso é absurdo.

Sinceramente, acredito que essa sociedade que aí se manifesta padece de um mal histórico ligado à debilidade crítica, que tem caracterizado suas manifestações. O que conta não é o que acontece, a realidade como ela é, mas a alienação ante aquilo que deveria ser mais sagrado. Não teria sido Deus quem distinguiu homens de animais? Não estaria o ser humano acima dos animais? Execrar, violentamente, uma pessoa em nome de um animal é submeter uma existência humana a critérios desumanos. Não se trata de defender maus-tratos, mas de defender a dignidade humana que, no meu ponto de vista, está acima da dignidade de qualquer animal.  

A nossa sociedade tem subvertido muitos valores. Em nossas cidades, de modo especial nas regiões metropolitanas, existem milhares de crianças relegadas à marginalidade. Outras tantas, no seio de suas famílias, têm reduzidas suas chances de vida com dignidade porque o Estado, envolto em corrupção, não lhes oportuniza educação com qualidade. Maior ainda é o número da população brasileira padecendo às portas dos hospitais públicos porque o sistema de saúde brasileiro é decadente. Faltam equipamentos médicos, os médicos não cumprem seus plantões e, para quem é pobre, resta a mendicância por aquilo que lhes é mais sagrado, a vida, e vida com saúde.

Poxa, enquanto o mundo se despedaça em tantas mazelas, uma classe média medíocre, acompanhada de grupetos transloucados se perdem em devaneios por causa de uma cadela. Chegamos a um ponto tão crítico que alguns porra-loucos quiseram fazer revolução na USP pelo direito de fumar maconha no campus. Pessoal, vamos acordar, se vocês querem fazer a revolução, então procurem causas mais nobres. E as causas nobres existem. Acordem!

26 comentários:

  1. tenho NOJO DESTE LIXO DE GENTE
    http://lanaparasempre.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Mas de que tipo de gente você tem nojo, das pessoas que trocam pessoas por animais?

    ResponderExcluir
  3. Meu filho amo tanto as pessoas como aos animais, mas ha muita diferença entre as leis para um e para outro, entao quero dizer que se eu pagar 3 mil ao ibama eu posso matar alguem,, nao nao, homicidio e pago na cadeia, a diferença e que a lei para mal tratos aos animais e branda, e deve ser melhorada, dignidade humana, pois, nao acho que quem faz o que aquela mulher fez com uma criatura de Deus, indefesa, inocente tenha isso, ela precisa sim do perdao de Deus, e matar ela nao nao acho certo falarem isso, ela tem q viver, por que aqui se faz e aqui se paga.

    ResponderExcluir
  4. Muito me admira o seu comentário, professor. Tanto a criança quanto o animais, seres indefesos e dependentes de quem os trouxe para este mundo, ou pelo menos um dia "manifestou" desejo de proteção (neste caso ao animal), foi justamente quem o massacrou e o agoniou até a morte. Se num momento de fúria pega-se um ser vivo para descontar seus recalques, imagine agora o próprio risco que esta criança, também indefesa, corre. Pessoas deste tipo, pouco quer saber se é criança ou animal que está a sua frente e sim a única coisa que a satisfaz é "aliviar" seu stress em seres indefesos, seja este, humanos ou animais.

    ResponderExcluir
  5. Ah! então você só publica o que você acha acha que dever ser aprovado? Não entendí. Achei que fosse o um espaço para livre reflexão e expressão.... Enfim....

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente, nem sempre tenho tempo de moderar comentários e os comentários precisam ser moderados, porque nem sempre as expressões encontram-se dentro dos limites aceitáveis de respeito e outros valores necessários à boa sociabilidade.

    ResponderExcluir
  7. O ser "humano” que classifica valores e importâncias diferentes aos tipos de vida não parece ser tão "humano"ao ao menos racional.
    Nunca devemos destruir aquilo que não podemos criar e que saibamos quase nada na natureza o homem até hoje conseguiu criar além de experiências genéticas berrantes.
    Sobretudo esperar que nós humanos plenos de consciência e de inteligência possamos manifestar mal a qualquer ser vivo indefesso.
    Me espanta esta sua infeliz manifestação que na verdade está disfarçada de preconceitos, frustrações e de um socialismo completamente ultrapassado, querendo sempre gerar o conflito entre classes e grupos.
    Não tente explorar então esta infeliz e monstruosa atitude humana de matar cruelmente um pequeno ser vivo em seu palco de lutas de classe. Estão sim no mesmo nível todos os seres vivos porque não somos superiores e nem seus criadores. Adnarim Garcia

    ResponderExcluir
  8. Meu caro,

    Vou tomar a liberdade de responder a sua questão sobre o "nojo" sentido pela Srta. Valentina: Acredito que ela deva ter "nojo" de pessoas que dizem: "Questionar tendenciosamente que se Camila Corrêa, a agressora, fez o que fez com a Lana, a cadelinha, então o que ela poderia fazer, em momentos de fúria, com a própria filha de modo a induzir que ela poderia ter a mesma atitude com a criança equivale a pôr no mesmo nível a existência de uma cadela yorkshire terrier e uma criança, a filha da enfermeira Camila Corrêa. Isso é absurdo.

    "Execrar, violentamente, uma pessoa em nome de um animal é submeter uma existência humana a critérios desumanos. Não se trata de defender maus-tratos, mas de defender a dignidade humana que, no meu ponto de vista, está acima da dignidade de qualquer animal".

    Você como um professor, me passa a impressão, que aceita e acha normal (tal qual esta senhora mesma falou), o ato de maldade, crueldade, atrocidade que a Sra. Camila Correa fez, levando através de um massacre agonizante a morte de ser vivo, que tem dores e sentimentos tantos quantos os seres, que neste caso, achamos que são humanos.

    Hora, faça-me o favor e sinceramente acho que como eu, os seus discípulos venham a analisar realmente quem é a pessoa que lhes ensinam.

    ResponderExcluir
  9. É interessante observar a profundidade dos comentários a cerca da cachorrinha, talvez porque nenhum texto nesse blog tenha tido mais conteúdo que o deste tema. De fato, muitos blogueiros consideraram o assunto de primeria ordem. Não tenho condições de responder nominalmente porque alguns preferem o perfil anônimo (acredito que por não terem conta no google). De qualquer modo, já chegou-se a declarar o drama de uma cadelinha que, na trama da luta de classe, teve sua vida ceifada brutalmente. Caros internautas, luta de classe é um conceito marxista e só se aplica a seres humanos.

    ResponderExcluir
  10. Mariângela de Almeida e Souza30 de dezembro de 2011 23:33

    Prezado professor Moisés,

    Sou médica veterinária e defensora da causa animal. Sou uma pessoa séria, dedicada ao meu trabalho – não sou tresloucada, nem patricinha, nem medíocre. Lutamos por um mundo melhor, sem violência de qualquer espécie, para todos os seres, humanos e não-humanos. Nenhuma forma de violência ou de crueldade deve ser admitida ou pode ser justificada. Espancar até a morte uma cadelinha indefesa não é menos grave por se tratar de um animal – a dor e o sofrimento são semelhantes. O que deixou a todos indignado com o acontecimento, além da morte brutal e por motivo fútil, foi a forma como foi feita – foram dois dias de espancamentos, chutes, arremessos ao chão e contra a parede, tentativas de sufocamento. E isso tudo feito na frente de uma criança de menos de dois anos. Sim, diariamente recebemos notícias de maus-tratos e violência contra pessoas, crianças, idosos, indefesos. Esse é o mundo que criamos, nós, seres humanos. O mundo vive guerras inacabáveis, corrupção permanente, descaso diante do sofrimento do outro, violência sem limites, abuso contra os mais frágeis, insensibilidade em geral. Somos nós, humanos, os responsáveis por isso, somos nós que estamos destruindo o planeta. E somos nós que temos que nos transformar em seres mais compassivos, tolerantes, solidários. Não é criticando, ofendendo e ironizando a sensibilidade das pessoas que o senhor poderá contribuir para transformar o mundo em um lugar melhor. Nenhuma forma de violência é aceitável. Lute para aumentar a sensibilidade e a solidariedade nas pessoas e, não, para diminuí-las. Não há nenhuma justificativa plausível para não nos importarmos com o que acontece com os outros seres não-humanos com os quais dividimos nosso mundo. Eles não merecem sofrer covardemente em nossas mãos.
    Mariângela de Almeida e Souza
    Rio de Janeiro - RJ

    ResponderExcluir
  11. "O que mais preocupa não é o grito dos violentos nem dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons."

    inicialmente, Parabéns pelo comentário Mariângela...

    Professor Moisés, gostaria apenas de fazer algumas colocações sobre seu texto:

    1 - “não teria sido Deus quem distinguiu homens de animais?"
    Se for pra falar de Deus...Porque não fazê-lo por citações?
    "O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel."
    Provérbios cap. 12 verso 10
    "Não existe um só animal na terra, nem criatura que voa com duas asas, que não sejam povos semelhantes ao seu".
    Alcorão, surata 6 verso 38 "

    2 - "equivale a pôr no mesmo nível a existência de uma cadela yorkshire terrier e uma criança... Isso é absurdo."
    Se for pra falar sobre animais e humanos no mesmo "nível de existência”:
    Que tal mais algumas citações?
    “Os animais foram criados pela mesma mão caridosa de Deus que nos criou… É nosso dever protegê-los e promover o seu bem-estar.” M Teresa de Calcutá
    Todos os seres vivos são iguais, pela sua origem, seus direitos naturais e divinos e por seu objetivo final.
    São Francisco de Assis.

    3 - “Sinceramente, acredito que essa sociedade que aí se manifesta padece de um mal histórico ligado à debilidade crítica”
    Se for pra falar de sociedade e “debilidade crítica”, vale citar:
    "A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem." Arthur Schopenhauer
    "A compaixão para com os animais é uma das mais nobres virtudes da natureza humana." Charles Darwin

    "Chegará o dia que os homens conhecerão a alma dos animais, e nesse dia, um crime contra um animal será considerado um crime contra a humanidade." Leonardo da Vinci
    Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa é a proposta de um ser humano integral." Abraham Lincoln

    Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor." Pythagoras
    Quando o homem aprender a respeitar até o menor ser da criação, seja animal ou vegetal, ninguém precisará ensiná-lo a amar seu semelhante. “Albert Schweitzer (Nobel da Paz - 1952)”

    4 – “Poxa, enquanto o mundo se despedaça em tantas mazelas, uma classe média medíocre, acompanhada de grupetos transloucados se perdem em devaneios por causa de uma cadela.”
    Se for pra falar de pessoas que se sensibilizam com a crueldade contra animais, que defendem suas crenças manifestando seu descontentamento diante de injustiças contra os animais e principalmente contra atrocidades por motivos tão fúteis, então, por favor, Professor; inclua-me nestes “grupetos tresloucados”, de classe média, medíocres e com “debilidade crítica”, para que faça parte deste grupo, bem como:
    São Francisco de Assis
    Madre Tereza de Calcutá
    Leonardo da Vinci
    Charles Darwin
    Arthur Schopenhauer
    Abraham Lincoln
    Albert Schweitzer
    Pythagoras
    Dalai Lama

    SIM, nossa causa é nobre e só não percebe sua grandeza e importância, aquele o qual tem a visão limitada por sua pequenez de espírito.
    "A pequenez de espírito faz a obstinação; e não se acredita facilmente naquilo que está para além do que se vê." François La Rochefoucauld

    "RESPEITAR os animais é DEVER de todos, AMÁ-LOS é um PRIVILÉGIO de poucos"

    ResponderExcluir
  12. Parabens,Mariangela, pelas belas palavras!!

    ResponderExcluir
  13. Olha, há pouco que eu possa dizer ante um discurso tão bem argumentado. Já fui, quando era criança, dono de um cão. Então minha crítica não é à sensibilidade das pessoas que defendem Lana, a cadela, mas a ausência de sensibilidade ante mazelas que, no meu ponto de vista, são mais graves e, em relação às quais, existe um silêncio inquietante.

    ResponderExcluir
  14. obrigada pela resposta.
    acredito que o "discurso tão bem argumentado" tenha sido um real elogio...
    tbm sou professora, trabalho com crianças carentes e procuro (em conformidade com minhas limitações) ajudar a melhorar aspectos os quais nem entrarei em detalhes, pois nos levariam a uma outra discussão (educação, exclusão, injustiças, desigualdades, alienação, etc.)
    estas mazelas que vc diz a seu ponto de vista serem mais graves, afligem o povo e nos limitam enquanto sociedade. Acredito e defendo veementemente a idéia de que precisamos levantar a nossa voz contra tudo aquilo com o que não concordamos, contra todo o mal sob o qual nossa sociedade padece...
    concordo com certos pontos do seu texto, só não concordo qdo vc desmerece uma causa que a meu ver é muito nobre e generaliza os defensores dos direitos animais como “grupetos tresloucados”, mas em especial, não posso aceitar quando você não dá o devido valor à vida de um ser vivo, um animal tão indefeso, levado à morte de maneira tão cruel.
    a crueldade (seja ela contra quem ou o que for) não pode ser tratada como banalidade.
    Existem sim, aqueles que pegam carona na onda, e se aproveitam dos acontecimentos com discursos sensacionalistas, mas também existem aqueles que, como eu, defendem os direitos dos animais, por amor e por acreditar que aqueles menos favorecidos merecem ter uma voz que lute por seus direitos e por sua vida, sua vida com dignidade (sejam crianças, idosos, doentes, animais, etc).
    Uma sociedade plena cuidará de seu povo e de seus animais, com dignidade e justiça para todos.
    Utópico, né?
    Mas precisamos começar por algum lugar, cada um escolhe seu caminho, sua causa (e a minha é essa).
    “Toda jornada,por mais longa que seja, começa com o primeiro passo”.

    ResponderExcluir
  15. em tempo...
    completando meu comentário anterior onde ficou faltando dizer:
    precisamos todos lutar contra "o silêncio inquietante". ;)

    feliz ano novo!

    ResponderExcluir
  16. Esteja certa, minha cara, que "bem argumentado" é de fato um elogio. Só tenho a lamentar a falta de sua identificação (embora entenda como possível que você não tenha conta do google), de qualquer modo, fico feliz que seja professora e que tenha um poder de convencimento e uma habilidade discursiva tão rica.

    ResponderExcluir
  17. Professor Moisés,
    Acho um absurdo o que vç colocou.
    Lutar pela Justiça a Lana não significa diferenciar humano e animal.
    Lutamos pela Justiça não importa SE É PARA UM SER HUMANO OU ANIMAL.
    Justiça é Justiça não importa se será feita para um humano ou animal.
    Está preocupado com quê?
    Vç pelo jeito está muito confuso pois acha que um ser humano não deve pagar pelo seu erro só porque o ser injustiçado é um animal.
    Vç está se igualando a Assassina quando coloca da forma que colocou.
    Justiça tem que ser feita não importa o que aconteça a quem vai pagar.
    Te garanto que um animal não faria o que ela fez para seu filhotinho.
    Se aproveitou da fragilidade do bichinho essa va... assassina.
    Com certeza vç não vai publicar meu comentario, mas se ler para mim já valeu.
    Covardes como ela e vç tem é que ser banidos da face da terra.
    Quer saber tem muitos animais que valem muito mais do que vç e essa assassina.

    ResponderExcluir
  18. Às vezes penso que toda moderagem é, de certo modo, uma censura. Mas, comentários como o que antecede a este meu, impõem a censura como uma necessidade. Amigos blogueiros, esse é um espaço de livre reflexão e expressão, não de ataques e criminalizações.

    ResponderExcluir
  19. Em relação ao comentário anteposto ao do professor, concordo plenamente.
    A lana não é nenhuma "exceção" de agreção. Td bem q esse fato ocorrido chocou as pessoas... só q se for p chegar ao ponto de lutar pela justiça de algo ou de alguém, teremos q avaliar muitas coisas.
    Acredito q vc não tem amor algum a animal ou a uma pessoa, qnd vc trata um ocorrido desse como banalidadde...
    Enfim, cada sua tese.
    Tbm sou professor, e discordo de muitas coisas q vc posta... sempre q posso estou acompanhando seu blog.

    ResponderExcluir
  20. Cara....acho que sim, tem gente que precisa rever seus valores, inclusive você!!!! Que cabecinha de merda é essa, que cérebro atrofiado é esse, que não conseguiu. Repito, NAO CONSEGUIU entender o que as pessoas sentiram. Cara, isso ocorre com pesudo intelectuais, que parece ser o seu caso. Se travestem de palavras e temas sociais sem conseguir de fato entender e lidar com os conteúdos. Vou explicar só um pouquinho, quem sabe dessa vez entenda e não use um espaço de comunicaçao de forma errada. Essa que Deus fez os homens superiores ao animais... velha e estúpida demais. Procure outra em seu escasso arsenal de argumentos. O Homen, se podemos dizer ter sido "superior", com isso deveria a Deus no mínimo oq ue um superior teria para com um inferior. RESPEITO, CUIDADOS, ETC. Ser superior não daria o direito de espancar, etc. Consegue imaginar Deus chutando seres "inferiores"? O que revoltou as pessoas, foi a crueldade explícita. Essa mulher para mim merece a morte sim. Constatação da vida. Pessoas que maltratam animais não têm caráter, moral, valores éticos ou espirituais. Quando essa se for, não vai fazer falta. Aliás, tão culpado quanto ela foi o seu omisso marido. Que sabia e via o estado do anuimal, e deixou rolar. Quem filmou, na primeira agressão deveria ter intercedido e denunciado. Se tiver coragem, deixe esse post aqui, quero ver se tem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro leitor, não me exponho aqui como intelectual. De qualquer modo, a despeito da sua forma agressiva de expressar-se, quero apenas dizer-lhe que não quis hierarquizar a existência humana e animal, mas relevar a dignidade humana em face daquilo que era corrente nos meios de comunicação. Exste aí toda uma questão cultural que precisaríamos discutir. Mas, em que pese qualquer argumento seu, ou justificativa minha, não tenho dúvida de que o ser humano tem uma dignidade ímpar.
      Você diz que a senhora que agrediu a cadelinha deveria morrer. Acho que isso é muito grave. O nosso país não tem pena de morte, se tivesse acho que iriamos precisar analisar o aspecto de cada crime; por exemplo prefiro o pescoço do Marconi e do Demóstenes que colaboram com o roubo de milhões da educação e saúde, razão porque indiretamente matam milhares de crianças, a uma pessoa isoladamente.

      Excluir
  21. Este é um espaço de reflexão expressão.
    Sinta se avontade.Hahaaa nãda aver tio se liga meu até parece que os alunos vão se sentir avontade em um site feito por um professor!!
    Aff'
    Esse site não tem nada aver com nadaaaa.
    Só presta pra entar no atalho para o facebook!!! KKKKKKKK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ao que parece sua relação com professores foi bem repressiva. Talvez isso explique sua pobreza gramatical. Sim, meus alunos têm liberdade para dizerem o que pensam no blog e em sala de aula.

      Excluir
  22. Caro professor, li seu texto e tenho certeza que compreendi sua preocupação com o exagero que o assunto "maus tratos a animais" por vezes é perpetrado... de fato, vemos isso pelas respostas que o senhor recebeu em seu blog. Algumas bem agressivas e querendo inverter sua posição ou que foi falado. Infelismente, não caberiam nem suas respostas ao que lhe foi questionado... eu me preocupo com a vida animal, tenho 5 dentro de casa, mais pássaros... não gosto de gatos, mas nem por isso os maltrato ou espanco... ao contrário, afágo-os quando os encontro nas casas de amigos ou lojas aonde frequento... mas daí me compadecer mais do que me compadeceria com o mal acometido a algum ser humano, é algo que não está na minha índole. Devemos, TODOS, fazer uma reflexão quando a este fato, quanto a esses exageros. A mesma coisa podemos dizer quando algum deliquente morre em comunidades pobres, onde até "nossa senhora" desce do céu para chorar pelo indivíduo... mas não vemos uma alma caridosa consolando as viúvas e órfãos de policiais, ou mesmo cidadãos que convaleceram nessa guerra urbana... invertemos os valores de tudo... um abraço professor... não conhecia seu blog, mas vou dar uma olha e ver sua postura quanto a outros assuntos.... que Deus lhe abençoe...

    ResponderExcluir
  23. Caro professor, li seu texto e tenho certeza que compreendi sua preocupação com o exagero que o assunto "maus tratos a animais" por vezes é perpetrado... de fato, vemos isso pelas respostas que o senhor recebeu em seu blog. Algumas bem agressivas e querendo inverter sua posição ou que foi falado. Infelismente, não caberiam nem suas respostas ao que lhe foi questionado... eu me preocupo com a vida animal, tenho 5 dentro de casa, mais pássaros... não gosto de gatos, mas nem por isso os maltrato ou espanco... ao contrário, afágo-os quando os encontro nas casas de amigos ou lojas aonde frequento... mas daí me compadecer mais do que me compadeceria com o mal acometido a algum ser humano, é algo que não está na minha índole. Devemos, TODOS, fazer uma reflexão quando a este fato, quanto a esses exageros. A mesma coisa podemos dizer quando algum deliquente morre em comunidades pobres, onde até "nossa senhora" desce do céu para chorar pelo indivíduo... mas não vemos uma alma caridosa consolando as viúvas e órfãos de policiais, ou mesmo cidadãos que convaleceram nessa guerra urbana... invertemos os valores de tudo... um abraço professor... não conhecia seu blog, mas vou dar uma olha e ver sua postura quanto a outros assuntos.... que Deus lhe abençoe...

    ResponderExcluir

Este é um espaço de reflexão e expressão. Sinta-se à vontade.