quinta-feira, 7 de março de 2013

DEPUTADO MARCOS FELICIANO: RACISTA, HOMOFÓBICO, ESTELIONATÁRIO E PRESIDENTE DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS DA CÂMARA - O BRASIL COMO ELE É



O pensamento de Feliciano sobre a minoria que deve defender na Câmara.
Sempre que a memória coletiva parece aquietar-se ante a ausência de uma novidade que venha perturbar-lhe a calmaria um fato novo apresenta-se, agitação que inquieta mentes quase sempre muito tranquilas. Aqui nos trópicos nos esforçamos muito por manter a aparência.  O fato da vez é a eleição do pastor, político de hábitos comuns à moda brasileira, Marcos Feliciano, reacionário, homofóbico e, conforme processo no STF, bandido.


De fato, quando se acredita que nada de novo será produzido por nossa Câmara parasitária, eles inovam e surpreendem as pessoas comuns. Como eleger, para proteger as minorias, um cara que se declara contra essa minoria? Entende-se isso. Certamente há alguma tramoia que justifique isso. No mínimo uma compra de apoio para qualquer outro ato escuso, mesmo que seja um projeto de permanência no poder da presidente Dilma, ou quem quer que seja.


Certo é que o novo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, Marco Feliciano (PSC-SP), é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de estelionato. Ele é acusado de ter inventado um acidente no Rio de Janeiro para justificar a ausência em evento no Rio Grande do Sul, para o qual já havia recebido cachê, passagens e hospedagem.


Além disso, o safado ainda foi denunciado em janeiro pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, por homofobia. Gurgel considerou que é ato discriminatório a mensagem do deputado no microblog Twitter com a frase "A podridão dos sentimentos dos homoafetivos levam ao ódio, ao crime, à rejeição". O procurador pediu punição de um a três anos de prisão. 


Como se não bastasse o crápula ainda considera que nós, os negros, fomos amaldiçoados por Noé, o que leva a um raciocínio conclusivo de que são razoáveis os racistas e preconceituosos destes país quando nos impõem práticas desumanas cujo motivador seja a cor da nossa pele.


Atitudes como essa da Câmara não me surpreende. Mas ainda assim quero proclamar minha indignação. Deputado Marcos Feliciano, na minha opinião, o senhor é apenas um crápula que se dá bem às custas da alienação do seu rebanhozinho.