segunda-feira, 20 de abril de 2015

LAGO SERRA DA MESA: ESTÃO VENDENDO MENTIRAS

Tenho visto, viajando pela região Norte do Estado de Goiás, como na internet e até na capital, cartazes que anunciam o paraíso e o vendem tendo como endereço certo o Lago de Serra da Mesa, sobretudo no enorme trecho que vai de Niquelândia à Minaçu. E não é só os corretores que trabalham na constituição dessa imagem, as prefeituras, principalmente de Uruaçu e Minaçu, também se esforçam para isso.

Segundo dizem, numa região onde o calor é constante, as águas são excelentes para o refrigério do corpo. O lugar é rico em peixe, principalmente tucunaré que, aos cardumes, fariam a alegria do homem que gosta da pesca esportiva. Há uma diversidade de espécies nas águas do Lago que, numa exuberância da natureza é o lugar perfeito para o descanso da família.
Nível baixo da água e muita poluição, a realidade do Lago de Serra da Mesa

Tudo mentira. As águas não são mais abundantes. Cada dia o Lago encolhe mais. Dizem que é um estado passageiro, penso que seja mesmo. Todavia, independente do volume de água, numa coisa o lago é exuberante e não deixará de ser, na quantidade de merda que corre das mansões e condomínios às suas margens. Mas não são só as fezes humanas, os agrotóxicos e os esgotos despejados nos córregos que correm para o Lago completam a cena de águas turvas.

Outra mentira é dizer que o turismo movimenta a economia local. As pessoas que vêm ao Lago quase sempre vêm para ranchos e cuidam em procurar, nas suas cidades de origem, Goiânia, Anápolis e Brasília, o supermercado mais barato para fazerem suas compras. As carretinhas não trazem apenas canoas. Trazem quase tudo que essas pessoas precisam. Só não precisam do lixo, que deixam no leito do Lago. Talvez, os postos de combustíveis tenham algum lucro, considerando a possibilidade de que carros de maior potência precisem de mais de um tanque de combustível para, por exemplo, fazer o percurso entre Goiânia e Uruaçu.

A maior mentira, no entanto, é dizer que há abundância de peixes no Lago. O Lago tem uma população tão reduzida de peixe que os bons pescadores depois de uma semana de pesca não pegam mais que dez quilos de peixe.

Há, no entanto, um tipo de pescador que tem obtido sucesso na pesca. São aqueles, na maioria de Goiânia e Brasília, que, por não haver fiscalização, pescam com arpão. Pesca proibida. Mas, num lugar onde o poder público alimenta a fantasia do turismo lucrativo, a irresponsabilidade é deliberada sob o argumento de não espantar o turista.

Então, me cansa tantas pessoas dos centros urbanos vizinhos me falarem do Lago como objeto de desejo porque seria uma maravilha morar por aqui. Gosto de pescar. Gosto da natureza. E é exatamente por isso que escrevo esse texto para esclarecer aos que ainda não sabem que o Lago Serra da Mesa virou ouro de tolo.